estrutura – cieba — centro de estudos e de investigação em belas-artes

centro de investigação e de estudos
em belas-artes

estrutura

O Centro articula-se segundo oito Grupos de Investigação:

  • Grupo de Investigação e Estudos em Ciências da Arte e do Património – “Francisco de Holanda”
  • Grupo de Investigação em Design
  • Grupo de Investigação em Pintura
  • Grupo de Investigação em Design de Comunicação
  • Grupo de Investigação em Desenho
  • Grupo de Investigação em Escultura
  • Grupo de Investigação em Arte Multimédia
  • Grupo de Investigação em Educação Artística

 

Adicionalmente estão estabelecidas Linhas de Investigação Transversal correpondendo a áreas de Mestrado e possível especialização de Doutoramento. Os dois laboratórios de investigação, o ‘Heritage Lab’ e o ‘Fab Lab’ são dirigidos pelos seus respetivos líderes de investigação, estando adstritos respetivamente aos Grupos de Investigação e Estudos em Ciências da Arte e do Património – “Francisco de Holanda” (‘Heritage Lab’) e ao Grupo de Investigação em Design (‘Fab Lab’).

Cada Grupo de Investigação é responsável por eventos académicos periódicos, como Congressos, Simposia, seminários, segundo as suas Comissões Científicas (de maioria externa, e procedimentos de revisão por pares). Cada Grupo é também responsável pelas Chamadas de Trabalhos e também pela edição de diferentes coleções de monografias.

O Centro também está envolvido nos cursos de Pós Graduação, nomeadamente no Programa de Doutoramento. A organização dos diferentes seminários é organizada pelo coordenador do Programa com a colaboração de cada um dos líderes de Grupo de Investigação e dos membros da Faculdade. Em todas estas atividades os os investigadores das instituições participantes são totalmente livres e incentivados a participar na orientação e nos seminários para desenvolver os seus próprios projetos.

O Centro organiza-se segundo o seu Regulamento atualizado recentemente que estabelece uma organização mais clara e regras simples sobre tipos de atividades, eligibilidade de despesas e requisitos, priorização de apoios aos projetos e iniciativas, segundo critérios simples: o mais adequado ao apoio e o mais pertinente a ser apoiado. Impacto, visibilidade, internacionalização, e maior implicação dos investigadores do Centro são alguns dos critérios que tornam um projeto mais elegível para apoios. Também é ponderada a consistência através da demonstração de sucesso ao longo de iterações dos eventos.

Este Centro está empenhado num nível muito elevado de disseminação através de um ritmo intenso de publicação e de chamadas para reuniões científicas. O CIEBA mantém em publicação 6 diferentes periódicos, de modo tempestivo e consistente, revistas que são indexadas em plataformas exigentes como a SciELO e outras. Todo este material é tratado em html, xml e markup, de modo a permitir um rápido acesso aos dados bibliográficos. Os investigadores do CIEBA, seniores, juniores e em formação, participam ativamente nestas publicações. Mas o foco de todas estas atividades é a sua atratividade junto dos investigadores de outros países, sendo a maioria dos que se apresentam aos eventos, e que se reunem em Lisboa em diversas ocasiões para diferentes eventos. O ênfase na disseminação e na publicação dos periódicos e das monografias é a maneira prática de estruturar a atividade através de resultados, pela ação e pela oportunidade dos encontros científicos, de trocar conhecimentos com os seus colegas oriundos de um conjunto alargado de países.

A liderança académica é promovida pela iniciativa, pela liderança, pela organização, pela reunião de parceiros estrangeiros, conseguindo assim o reconhecimento e o estímulo extra para aprofundar e porfiar por mais resultados de investigação.